jusbrasil.com.br
22 de Outubro de 2019
    Adicione tópicos

    Projeto “Bom na Escola, Bom de Bola” estimula estudantes com bom desempenho escolar

    É noite de segunda-feira (11) no município de São José do Rio Claro (300 km de Cuiabá). O burburinho é grande dentro do ginásio de esportes da cidade. Nas arquibancadas alunos, pais de alunos, professores e a comunidade em geral estão ansiosos pra ver a bola rolar. Sentado em um dos degraus, com colete vermelho, está Pedro Henrique de Oliveira Souza, 11 anos, estudante do 6º ano do Colégio Estadual José Cezário de Castilho. Enquanto espera seu time entrar em campo, o pequeno “Maradona” como é conhecido pelos amigos, é um misto de ansiedade, orgulho e felicidade. Mas, qual o motivo de tanta alegria? O que aconteceu de tão especial?

    Pedro foi o único aluno selecionado em sua turma com mais de 20 estudantes para participar do projeto “Bom na Escola, Bom de Bola”, idealizado pelo Ministério Público do Estado de Mato Grosso (por meio da Promotoria de Justiça de São José do Rio Claro), Secretaria Municipal de Educação e Esportes, diretores, coordenadores e professores da rede de ensino municipal, estadual e privada. Ao todo, aproximadamente 300 estudantes (Ensino Fundamental e Médio) foram indicados e 150 selecionados para participar do projeto, que teve início no mês de agosto e terminou esta semana com a realização de um campeonato de futebol de salão (masculino) e vôlei (feminino) entre as cinco escolas participantes.

    Para serem selecionados pelo projeto os alunos tiveram que cumprir alguns requisitos: nota acima de 7 em todas as disciplinas, assiduidade escolar, bom comportamento e desenvolver um projeto sobre o tema proposto (combate às drogas). Apenas os que se encaixaram neste perfil puderam formar times e ir a campo disputar as medalhas.

    “Eu fiquei muito feliz de ter sido escolhido. Pra mim foi uma recompensa estar aqui hoje jogando. Eu gosto muito de futebol. Na minha sala apenas eu fui selecionado. Isso serve de incentivo para eu continuar sendo um bom aluno e também para os meus colegas que ficaram de fora”, destacou Pedro, que durante o tempo todo contou com o apoio da mãe que, orgulhosa, veio torcer pelo filho.

    O projeto, além de estimular e valorizar os alunos com bom rendimento escolar, buscou, também, a integração entre as escolas. Para isso, as equipes tanto de futebol, quanto de vôlei, foram formadas por estudantes de escolas diferentes. O objetivo era que os alunos desenvolvessem o senso de trabalho em equipe, somassem esforços, se entrosassem e confraternizassem.

    “Eu gostei demais de poder participar deste projeto. Sempre procurei ser uma boa aluna e me senti recompensada. Quando a professora me disse que os times seriam com alunos de todas as escolas eu não gostei, porque tinha umas pessoas que eu não ia muito com o jeito delas, mas depois fui conhecendo, fui treinando junto com elas e achando bom ter passado por esta experiência. A minha opinião mudou”, afirma Julia Rodrigues, 14 anos, da Escola Luterana.

    De acordo com o promotor de Justiça Luiz Fernando Rossi Pipino, o projeto foi criado como forma de estimular o ensino, melhorar o aproveitamento escolar dos alunos e conciliar com tudo isso uma prática esportiva. Participaram do projeto crianças e adolescentes entre 10 e 15 anos, da rede pública e privada que se encaixavam dentro das regras do projeto.

    “O projeto não termina com o final do ano letivo. A proposta é continuar monitorando estes alunos nos próximos semestres para ver o desempenho deles na escola, a ideia é estimular o aluno no seu aproveitamento escolar. O projeto terá continuidade porque queremos, também, resgatar aquele aluno que não faz da escola um banco de aprendizado para a vida. Queremos que eles assimilem a importância do estudo na vida deles, a necessidade de ter disciplina e boas notas. Queremos abraçar estes jovens, trazer para eles uma oportunidade, uma perspectiva de vida melhor”, explica o promotor de Justiça.

    Na avaliação dele a primeira edição do projeto foi um sucesso. “Mostramos que a união faz a força e que nós podemos sim fazer a diferença na vida das pessoas. Considero o resultado bastante positivo e satisfatório. Nós integramos com as escolas e interagimos com alunos, professores e pais de alunos, o que foi extremamente positivo. Já estamos preparando a segunda edição do projeto, que terá início em fevereiro, com a visita nas escolas, e encerramento em julho, com o campeonato”.

    A juíza da comarca de São José do Rio Claro, Cristiane Baggio, destacou que o projeto tem como primeira finalidade incentivar os alunos à prática da disciplina em sala de aula, ao estudo e ao esporte. “Projetos como este são de suma importância para as crianças e adolescentes e a família em geral. Fiquei muito feliz com a participação das escolas e com os resultados alcançados. O Ministério Público está de parabéns pela iniciativa. Sempre que houver projetos desta natureza o Poder Judiciário será parceiro do MP, em prol da infância e da juventude”, garantiu.

    Para o professor e secretário adjunto de Esportes, Edson Douglas, o resultado da primeira edição do projeto foi gratificante. “O projeto valorizou os alunos que têm bom desempenho escolar e despertou nos demais o desejo de melhorar. Tenho certeza que na próxima edição o número de alunos vai aumentar, porque eles viram como a integração foi positiva”.

    Voluntário do projeto, Rone Dias, que é jogador profissional e ajudou na organização e treino dos alunos, ressaltou a importância do esporte na vida das crianças e adolescentes. “Primeiro quero agradecer o convite do promotor de Justiça, Luiz Fernando. Foi uma honra ter participado. Sou atleta e acredito na força do esporte para mostrar a estes jovens o caminho certo a seguir, longe das drogas, do álcool e do mundo do crime. Mostramos por meio do esporte que isso não agrega nada na vida deles, muito pelo contrário, destrói. Já estamos animados para a próxima edição”.

    A secretária municipal de Educação, Maria do Socorro de Oliveira, destacou a importância do projeto valorizar o ensino. “Achamos a ideia do projeto, de valorizar os alunos com bom desempenho escolar, fantástica. A visita do promotor de Justiça nas escolas foi excelente e fez toda a diferença porque despertou nos alunos o desejo de participar. Só temos a agradecer ao Ministério Público pela parceria e por ter vindo para dentro da escola”.

    Dos 400 alunos da Escola Estadual Domingos Briante, 110 participaram do projeto. “Nós sempre incentivamos os nossos alunos a participarem de projetos e quando vem um como este do Ministério Público, que valoriza o ensino, a disciplina, o aprendizado e o esporte, nós temos que abraçar. Não adianta o aluno apenas gostar de jogar bola e não se dedicar aos estudos. Ele tem que se preocupar em ser um bom aluno em primeiro lugar. Gostamos da proposta e da interação entre as escolas que o projeto proporcionou”, ressaltou a diretora Lucinéia Gouveia dos Anjos.

    Ao todo 12 equipes masculinas de futebol de salão (6 de cada categoria) e cinco equipes de vôlei feminino (3 de uma categoria e duas de outra). Os três primeiros colocados de cada categoria do futsal e os dois primeiros lugares do vôlei receberam medalhas. Os artilheiros de cada equipe e a jogadora destaque também foram premiados.

    Confira a classificação:

    Voleibol Feminino – 1ª categoria

    Vôlei Rio – 1º lugar

    Vôlei São José – 2º lugar

    Voleibol Feminino – 2ª categoria

    C.B.V. - 1º lugar

    Sesi – 2º lugar

    Osasco – 3º lugar

    Futsal Masculino – 1º categoria

    Meninos da Vila – 1º lugar

    Vila Nova – 2º lugar

    PSG – 3º lugar

    Futsal Masculino – 2ª categoria

    Meninos da Vila – 1º lugar

    PSGQ – 2º lugar

    Real Esporte – 3º lugar

    Escolas que participaram do projeto

    Escola Agrícola Municipal José Cezáreo

    Escola Luterana (particular)

    Escola Estadual Domingos Briante

    Escola Estadual Anísio José Moreira

    Escola Estadual São José do Rio Claro

    Empresas parceiras do projeto

    Agroboi

    Toninho Conveniência e Distribuidora

    Supermercados São José

    Espaço Japa

    Ótica e Relojoaria Omega

    Sicredi

    Superpeças

    Agropecuária Dias

    Móveis Gazin

    Eletromóveis Martinello

    Rio Flora Engenharia Agroflorestal

    Aponde Engenharia

    Auto Escola Miriam

    Metalúrgica e Tornearia Lachovicz

    Academia La Scalla

    Lanchonete e Pizzaria Caramba

    Auto Escola Capital

    Liquigás

    Fênix Comunicação Visual

    Explosão de Sabores Lanchonete e Pizzaria

    Genilza Nogueira Tupperwares

    0 Comentários

    Faça um comentário construtivo para esse documento.

    Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)